Comentário de Armando Silva Afonso: A seca do milénio na Austrália: um alerta para Portugal!

04.07.2016

A Austrália viveu durante 5 anos, entre 1997 e 2012, a pior seca da sua história, já designada por Seca do Milénio. Esta seca afetou significativamente o abastecimento de água a diversos centros urbanos e o seu combate exigiu uma participação ativa de diversas entidades públicas.

 

A experiência adquirida em relação ao combate a esta seca pode ser relevante para outros países ou regiões em risco de secas extremas, como é o caso de Portugal. A Califórnia, por exemplo, encomendou um estudo sobre o assunto, intitulado “Managing the Draught”, o qual foi realizado pela Alliance for Water Efficiency (dos EUA), pelo Institute for Sustainable Futures, da Universidade Tecnológica de Sidney, e pelo Pacific Institute.

 

Salientamos duas das principais conclusões do referido relatório. A primeira alerta para que a resposta a uma seca grave requer opções pelo lado da oferta e pelo lado da procura, notando que as opções pelo lado da oferta (pesquisa de novas origens, por exemplo) não devem ser priorizadas em relação a opções pelo lado da procura (eficiência hídrica nas utilizações).

 

A segunda conclusão refere que programas consistentes de eficiência hídrica no âmbito da procura maximizam o potencial de poupança e têm economias de escala significativas. Os autores consideram ainda que o envolvimento da comunidade e de todos os sectores promove um sentimento de justiça, de colaboração e de aceitação das estratégias de combate às secas.

 

Armando Silva Afonso é professor da Universidade de Aveiro e fundador e atual presidente da direção da ANQIP (Associação Nacional para a Qualidade nas Instalações Prediais).

TAGS: Comentário , Armando Silva Afonso , seca , Austrália , eficiência hídrica
Vai gostar de ver
VOLTAR