Comentário de Carmen Lemos: Dos arquitectos portugueses

22.04.2016

Inaugurou agora em Paris na Cité de l Árchitecture e du Patrimoine e vai estar exposto até 29 Agosto uma exposição intitulada “Os universalistas- 50 anos de arquitectura portuguesa” comissariada por Nuno Grande com a consultoria científica do arq. Souto Moura, sobre os últimos 50 anos da arquitectura portuguesa numa iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian celebrando os 50 anos da sua delegação em Paris.

 

De acordo com o comissário a exposição pretende mostrar cinco momentos chaves do passado recente; o internacionalismo (1960-1974), a revolução (1974-1979), o europeísmo (1980-2000) e a globalização (2001-2016) através de 50 projectos emblemáticos do trabalho desenvolvido por arquitectos portugueses em Portugal e no resto do mundo.

 

Inaugurou agora em Paris e espera-se que chegue cá juntando-se a um bom momento de participação e divulgação da qualidade dos arquitectos portugueses presente na exposição “Arquitectura em concurso: percurso crítico pela modernidade portuguesa”, no CCB, também presente nos inúmeros trabalhos que concorreram ao prémio nacional de reabilitação urbana, cujos vencedores foram conhecidos a semana passada e ainda, e igualmente, no aumento do número de trabalhos que concorreram aos “óscares” do imobiliário cujos vencedores foram conhecidos dia 18 de Abril.

 

São intervenções e trabalhos que merecem ser divulgados demonstrando a qualidade e diversidade da capacidade de resposta dos arquitectos portugueses a novas encomendas e novos desafios.

 

Carmen Lemos é arquitecta, possui uma pós-graduação em Recuperação de Centros Urbanos pela ETAC/UNESCO, um curso de Gestão Pública na Administração Local/CEFA e é técnica superior na área do Planeamento. 

TAGS: Comentário , Carmen Lemos , turismo e território
Vai gostar de ver
VOLTAR