Comentário de Carmen Lemos: E o mar aqui tão perto

30.03.2016

O desígnio do Mar é intrínseco à identidade dos portugueses. Não é novidade a importância, o valor que tem para nós esse horizonte infinito de onde não conseguimos afastarmo-nos. Está presente no nosso passado histórico, no nosso presente de trabalho, lazer e desporto e ainda no nosso futuro com a esperança na  “renovada” economia do mar.

 

Muitas vezes esquecido é agora retomado na agenda política. É por isso com expectativa que se aguarda o cumprimento do orçamento do Estado 2016 para o Ministério do Ambiente. E porquê? Para ver se é desta que se concretiza e executa o Plano de Acção e Valorização do Litoral 2012-2015, agora com apoio dos fundos do POSEUR. Trata-se de actuações há muito necessárias, prometidas, anunciadas e sucessivamente adiadas. São actuações muitas delas urgentes principalmente porque envolvem questões de segurança de pessoas e bens relacionadas com a Defesa Costeira e Gestão de Riscos das quais só nos lembramos quando as arribas seguem o curso natural da erosão costeira e são notícias do jornal. São actuações estruturantes porque se prendem a um nossos maiores recursos turísticos, o litoral que anunciamos já como local priveligiado para o Turismo activo, o Turismo da Natureza, a gastronomia rica mas onde há ainda tanto trabalho para fazer no âmbito dos planos de praia, dos projectos requalificação ambiental, da conservação e valorização da natureza, do uso racional e eficiente do nosso território.

 

Está anunciado que o Ministério do Ambiente vai contar com mais € 361 milhões, mais 27% que o ano passado o que corresponde a 1.707,1 milhões de euros, sendo a protecção do meio ambiente e conservação da natureza a segunda medida do programa do Ambiente com mais verba, € 325,2 milhões o equivalente a 34,6% do total. Será agora?

 

Carmen Lemos é arquitecta, possui uma pós-graduação em Recuperação de Centros Urbanos pela ETAC/UNESCO, um curso de Gestão Pública na Administração Local/CEFA e é técnica superior na área do Planeamento.

TAGS: Comentário , Carmen Lemos , turismo e território ,
Vai gostar de ver
VOLTAR