Comentário João Nunes:“O efeito do terrorismo no espaço público”

04.12.2015

O terrorismo golpeou a civilidade no seu verdadeiro coração. Não atacou os símbolos institucionais da comunidade nem tentou ferir as várias formas de representação das forças que a defendem.

Com a clarividência de quem observa uma comunidade desde fora dela, com interesse frio e objectivo, os terroristas desenharam o seu ataque contra aquilo que mais profundamente constitui a grande construção cívica  do Mundo - o Espaço  Publico e, mais complexa e formidável ainda, a forma de vida que está associada do seu uso. 

 

A esplanada de um café, um simples passeio de uma Rua comercial, os espaços de convívio social, foram as vítimas cuidadosamente selecionadas  de uma operação que procurou ferir o que há de mais precioso numa maneira de viver construída desde já há muito mais de dois mil anos e que se baseia na Paz, na Convivência e na Tolerância necessária a compartilhar espaços e tempos.

A convivência que resulta de saber que, por mais singular que seja o interesse de um grupo, haverá sempre um conjunto enorme de interesses comuns a todos que se lhe sobrepõem e desenham a Grande Humanidade.

 

Num tempo em que sobrevalorizamos a nossa dimensão individual e nos esquecemos da nossa intrínseca natureza cultural e colectiva, num momento em que damos por adquirida a condição excepcional a que, precisamente através dessa dimensão cultural, conseguimos, todos e cada um de nós, ascender, a perfídia do ataque mostra-nos, com a evidência da brutalidade, o enorme valor da invenção e uso dos Espaços da Humanidade e a sua coerência universal num só espaço, onde, terroristas incluídos, efectivamente estamos todos. 

 

João Nunes é arquitecto paisagista, professor universitário no Instituto Superior de Agronomia e fundador e director da PROAP

TAGS: comentário , João Nunes , terrorismo , espaço público
Vai gostar de ver
VOLTAR