Comentário de Miguel Pimentel: Ainda bem que as subconcessões de transporte foram canceladas!

14.03.2016

Já foi referenciado, num comentário anterior, que os contratos celebrados e cancelados com as empresas de transporte para a subconcessão dos transportes públicos de Lisboa e Porto, eram uma oportunidade mais do que uma ameaça.

 

Denoto agora, após um período de reflexão e de trabalho como consultor nestas áreas dos transportes públicos, que uma subconcessão das redes de Lisboa e Porto, seria um erro.

 

E explico este raciocínio. Após uma primeira fase de transição que se está atravessar em função do novo regime jurídico do serviço público de transporte de passageiros, iremos assistir, pela primeira vez em Portugal, a estudos aturados sobre a atual rede de transportes para a futura rede (ou uma futura imagem) do que queremos ver nas áreas metropolitanas. Pergunto-me o que seria se houvesse já uma restrição (subconcessão) logo à partida?

 

Um contrato assinado, como um pivot numa rede multimodal que não pudesse, por contrato, ser alterado. Julgo que se deu um passo importante para um correto planeamento de redes em Portugal. Algo que julgo nunca ter existido e que será um verdadeiro desafio nos próximos anos, tendo em mente o prazo de 3 de dezembro de 2019. Depois? Depois muda tudo, esperemos.

 

Miguel Pimentel é consultor de mobilidade, Eng. Civil, Mestre em Planeamento de Transportes e Doutorando em Planeamento e Ordenamento do Território na FEUP (CITTA-Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente).

TAGS: Comentário , Miguel Pimentel , mobilidade urbana
Vai gostar de ver
VOLTAR