Renováveis crescem na electricidade mas diminuem no aquecimento e arrefecimento

Dados foram apresentados pelo presidente da APREN, António Sá da Costa

22.06.2015

Se na electricidade a contribuição das fontes de energia renovável tem subido exponencialmente nos últimos anos – em 2014 garantiram 62 por cento do consumo - já a presença de tecnologias limpas no aquecimento e arrefecimento tem decrescido. Em 2011 as energias renováveis representavam no aquecimento e arrefecimento apenas 35 por cento e em 2013 baixaram para perto dos 30 por cento.

 

Os dados foram revelados pelo presidente da APREN – Associação de Energias Renováveis, António Sá da Costa, durante o debate “A evolução do mercado de electricidade. Contribuição das renováveis”, uma iniciativa da APREN e Conselho Regional Sul do Colégio de Engenharia Eletrotécnica, que decorreu na quinta-feira na Ordem dos Engenheiros, em Lisboa.

 

“Podíamos aproveitar o sol para aquecimento das águas sanitárias, por exemplo, mas não o fazemos”, lamentou Sá da Costa.

 

O sector dos transportes, o grande consumidor de energia, que “continua a ter a fatia de leão do petróleo”, sublinhou Sá da Costa, tem uma incorporação de energia produzida a partir de fontes renováveis muito baixa.

 

Em 2013 as fontes renováveis garantiram 25,7 por cento de toda a energia consumida em território nacional. Recorde-se que o Governo definiu como meta que, até 2020, 31 por cento da energia utilizada em 2020 fosse proveniente de fontes renováveis. No sector dos transportes a meta é de 10 por cento.

 

O director de planeamento e risco da EDP, Pedro Neves Ferreira, outro dos oradores da conferência, lembrou, por outro lado, que para 2030 Portugal assumiu uma meta ambiciosa de 40 por cento, no âmbito do Compromisso para o Crescimento Verde, o que “implicará um esforço continuado em particular no sector eléctrico e no aquecimento e arrefecimento”.

 

EÓLICA LIDERA NA ELECTRICIDADE RENOVÁVEL

 

A eletricidade em Portugal tem vindo a aumentar representando já 28 por cento da energia final utilizada. No que diz respeito à produção de electricidade renovável, é a eólica que continua a liderar. Nos primeiros cinco meses deste ano esta tecnologia foi a primeira fonte de energia renovável seguida da grande hídrica, sublinhou António Sá da Costa.

 

O presidente da APREN realçou que Portugal é exemplar neste sector e possui um "mix invejável de recursos renováveis". Além da eólica e grande e pequena hídrica engloba ainda a energia solar e biomassa só em Portugal Continental.

 

Ana Santiago

TAGS: energias renováveis , APREN , electricidade , aquecimento e arrefecimento e transportes
Vai gostar de ver
VOLTAR